a mídia de rapina e a ficção (entenda-se, realidade)

essa semana eu me enchi o saco de toda a baboseira nacional em torno ao escândalo marcos jefferson x josé dirceu (porque a lama se resume a isso, com um careca enfeitando no meio). mas me interessa acompanhar palmo a palmo a novela que a mídia vai conseguir fazer a esse respeito. em qual conto eles pretendem fazer a gente acreditar. e o que é pior: a gente vai acabar por acreditar, porque a cultura nacional associa o termo realidade ao que é dito na imprensa e na televisão. por isso, me interessa por demais essa ficção.

enquanto isso, fico de olho no que a “outra imprensa” diz a esse respeito. anteontem, o marcos valério entregou para o relator da cpi uma lista de 79 nomes de pessoas e empresas que receberam grana para a campanha do psdb em 1998. pensei logo: tá aí uma lista que não vai ficar à disposição do povo, pois a imprensa não vai dar nenhum destaque. mas se você quiser saber, clique aqui e saberá. mas se você quiser saber mais detalhes sórdidos, pode também clicar aqui que tem uma longa reportagem explicando tudinho.

mas a minha nota estarrecida não é sobre nenhum escândalo, nem sobre nenhum marcos jefferson, nem sobre o josé dirceu que tá ferrado, todo mundo sabe. nada disto. é que eu ainda não tinha me atentado para um detalhe: o relator da cpi é ninguém menos que o deputado ibrahim abi-ackel. para quem não se lembra, ele foi o ministro da justiça do general figueiredo. o ministro da justiça. na época houve um grande escândalo em torno ao desaparecimento de pedras preciosas e ele era o principal envolvido. o minstro da justiça. hoje deputado e relator da cpi. dá o que pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *