Biblioteca mattosiana

Glauco Mattoso completa hoje, dia 29 de junho, 60 anos. Motivo para comemorá-lo. Então, para quem estiver em SP, hoje tem o lançamento da Biblioteca mattosiana, pelo selo Demônio Negro, reunião de tudo que fez até agora. Na Biblioteca só não haverá o livro Tripé do tripúdio e outros contos hediondos, que será também lançado pelo selo Tordesilhas. Haverá também um bate-papo com o autor e os escritores Lourenço Mutarelli, Mamede Mustafa Jarouche e Antonio Vicente Seraphim Pietroforte.

O lançamento acontece no Centro Cultural B_arco (Rua Virgílio de Carvalho Pinto, 426 – Pinheiros) a partir das 19h30.

***
Para quem já quiser ir degustando as palavras do desbocado Glauco, um soneto sádico:

SONETO 17 SÁDICO

Legal é ver político morrendo
de câncer, quer na próstata ou no reto,
e, pra que meu prazer seja completo,
tenha um tumor na língua como adendo.

Se for ministro, então, não me arrependo
de ser-lhe muito mais que um desafeto,
rogar-lhe morte igual à que um inseto
na mão da molecada vai sofrendo.

Mas o melhor de tudo é o presidente
ser desmoralizado na risada
por quem faz poesia como a gente.

Ele nos fode a cada canetada,
mas eu, usando só o poder da mente,
espeto-lhe o loló com minha espada.

(Glauco Mattoso. Centopéia: sonetos nojentos e quejandos. SP: Ciência do Acidente, 1999)

2 comentários sobre “Biblioteca mattosiana

  1. Leo, muito legal o seu blog. Poesia não é minha praia, tirando uma ou outra coisa como o Quintana, que eu adoro. Mas esse poema do Glauco eu achei genial. beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *