boca no trombone

revista (in)vejaestá lá no arquivo do luis nassif:

“O maior fenômeno de anti-jornalismo dos últimos anos foi o que ocorreu com a revista Veja. Gradativamente, o maior semanário brasileiro foi se transformando em um pasquim sem compromisso com o jornalismo, recorrendo a ataques desqualificadores contra quem atravessasse seu caminho, envolvendo-se em guerras comerciais e aceitando que suas páginas e sites abrigassem matérias e colunas do mais puro esgoto jornalístico”.

chantagens, lobbys, dossiês falsos, difamações. o colunista econômico da folha de são paulo, resolveu fazer jornalismo de qualidade, mostrando as entrelinhas do maior semanário do país. digamos que não era bem um segredo o fato de que a revista veja vive atolada até o último fio de cabelo com falcatruas para se manter numa espécie de poder. se a política brasileira está como está, sabemos que um dos principais responsáveis por isto é a imprensa – que de uns 20 anos pra cá passou a ser a entidade mais poderosa e dominadora da opinião pública.

para completar, a revista veja (e outras, diga-se de passagem, que seguem a mesma linha editorial) se transformou num divulgador de superficialidades, onde o que mais se procura não é a informação, mas o efeito. digamos que, mesmo que o que foi dito não seja comprovado em investigações posteriores, a difamação já está feita e a opinião pública abalada. não é difícil imaginar o grau de sordidez que rola no dia-a-dia de um tão respeitável estabelecimento.

só que é difícil ficar dizendo as coisas, passando por louco falador. as pessoas por aí dizem: “isso é mania de conspiração”. dizem “mas é você que é um partidário deste ou daquele que a revista fala mal”. dizem que eu falo as coisas só para chocar. pois bem: agora temos relatos de quem convive com o malestar há mais de 15 anos. palavra de quem sabe.

confira com seus próprios olhos: www.luis.nassif.googlepages.com

Um comentário sobre “boca no trombone

  1. Antes de começar a notar o conteúdo duvidoso da revista, já me incomodava a quantidade de papel gasto com propaganda.
    Parei de assinar há alguns anos em nome da ecologia!
    rs.
    Depois, vivo me surpreendendo com notícias a respeito do lixo que a Veja virou.
    É, notícias a respeito, porque notícias dela, eu não leio. Temos mais o que fazer, não é mesmo?!

    Teu blogue é surpreendente!
    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *