poema

menina bonita
com casaca de banana
se eu te gostasse pra sempre
eu imitava o mário quintana

andava por uma rua
rua comprida que não tem mais fim
(não pode ser rua de brasília)
andava até você dizer que sim

depois de muito caminhar
eu chegasse numa esquina
(um baú de espantos)
você seria a minha própria rima

uma rima rara
uma rima urbana
uma rima clara
uma rima sacana

a gente se olharia
com cara de quem nunca se viu
eu tiraria a sua casaca de banana
puta que pariu!

depois a gente botava
uma placa comemorativa
aqui nesta esquina
experimente: o sexo é bom. viva!

(a minha homenagem ao mário quintana, que se foi há 15 anos atrás e deixou muita pérola para os vivos e principalmente os muito vivos)

3 comentários sobre “poema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *