das infimidades

das infimidades (foto: marcelo terça-nada!)

Título: das infimidades
Autor: leo gonçalves
Editor: in vento
Ano: 2004
Formato: 10,5 x 15 cm

poemas curtos que se assemelham ao haicai, sem, no entanto, o mesmo rigor formal, são a tônica em das infimidades. leo gonçalves flerta com a poesia marginal, sobretudo leminski, chacal e cacaso, seu texto tem como marca o frescor, a espontaneidade. muitas vezes o ritmo de seus poemas se aproximam da canção. existe uma certa coloquialidade em sua poesia, um descuido proposital, aquela aura vadia, vira-lata, livre e descompromissada que confere leveza ao trabalho. há construção, claro, mas a principal matéria usada pelo poeta para engendrar seus textos é o acaso, ou melhor definindo, a elaboração do acaso.

sandro eduardo saraiva
www.revistaetcetera.com.br

 

publiquei o livro das infimidades em 2004 pelo selo in vento (inventado por mim e alguns amigos para lançarmos nossas produções), com uma imensa ajuda do pessoal do memória gráfica typographia escola de gravura, ong na qual eu trabalhava havia algum tempo ministrando oficinas de literatura e criação literária. fizemos, portanto, uma impressão tipográfica, coisa já pouco usada no nosso mercado editorial, devido à imensa trabalheira que dá, e ao custo da mão de obra.

são, ao todo 38 poemas curtos ou quase, reunidos no meio de uma meada maior ao longo dos meus 10 primeiros anos dedicados à criação. o livro foi bem recebido. como a tiragem foi bem pequena (300), e a procura foi grande, fiquei logo sem nenhum exemplar disponível. por esta razão, resolvi fazer esta edição fac-simile em formato pdf:

 

das infimidades. poesia, 2004

para baixar o fac-simile de “das infimidades”, clique na imagem acima.
arquivo em formato pdf (6,15MB).

(salve na memória do computador e
configure o acrobat para exibir as páginas duas a duas.)

(Edição impressa esgotada)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *