Um poema de Alice Ruiz

tem os que passam
e tudo se passa
com passos já passados

tem os que partem
da pedra ao vidro
deixam tudo partido

e tem, ainda bem,
os que deixam
a vaga impressão
de ter ficado

Alice Ruiz. Dois em um. São Paulo: Iluminuras, 2010.

alice-ruiz-premio-claudia-2011

8 comentários sobre “Um poema de Alice Ruiz

  1. Não sei falar de você e nem de sua poesia, mas sei que elas me tocam de alguma forma que não sei explicar e nem quero, ja que não reduzirei o que sinto a qualquer explicação e passemos adiante. Hoje, agora pouco, vendo na tv o canal 69, através de suas falas vi que tanto a poesia como o poeta são a mesma coisa sem se-los e esse toque me acalmou, a ponto de amenizar a raiva que sinto de meus equívocos cujo um deles é não viver entre poetas e fico incessantemente tentando despertar o interesse das pessoas para a poesia. Você me socorreu. Agora volto a sentir a vida: obrigado !

  2. Este seu poema li-o no site artepaubrasil, há mais ou menos seis ou sete anos. Fiquei encantada, tocada. Não a conhecia, fui pesquisar e o encantamento solidificou-se. Em poucas horas eu já estava dentro da livraria com o seu livro “Dois em um” nas mãos, e em menos tempo, na minha casa. Linda mestra dos haikais e dos poemas que nos tocam feito veludos e pétalas. Abraço-a, afetuosamente.
    Solange

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *